terça-feira, 18 de julho de 2017

OS CINCO SEGREDOS DO APÓSTOLO PAULO


Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!” (Filipenses 4:4).


            Introdução
            O apóstolo Paulo estava na prisão quando escreveu Filipenses, a carta mais alegre de sua autoria. Nessa carta em que repete 16 vezes as palavras “alegria” e “alegrar-se”, ele sabia que a alegria não depende do conforto, lugar ou espaço. A alegria está em Deus. E Deus se dispõe a morar em nosso coração. Ele só precisa de nosso consentimento. Lembram-se da imagem de Jesus batendo a porta; a maçaneta só existe do lado de dentro (nosso lado); nós decidimos.
            Nessa epístola Paulo não diz que podemos ser felizes ou como ser felizes. Ele simplesmente afirma que é feliz. Daí o título: segredos. É preciso ir além do nível da superficialidade para descobrirmos o que fazia de Paulo um homem feliz!

            Os cinco segredos do apóstolo para manter a alegria aparecem nos versos seguintes.

            - Não ande ansioso por coisa alguma
            Em Sua Onisciência Deus sabia que a ansiedade seria o mal reinante nos últimos tempos. Alguém sabiamente já a comparou com uma cadeira de balanço. Movemos-nos, porém, não saímos do lugar. Perdemos o sono preocupando-nos demais com o que comer, o que vestir, o que calçar, onde habitar, onde trabalhar, aliás; este assunto não é novo, já havia sido tratado por Jesus no conhecido Sermão da Montanha.
            Segundo o próprio Cristo isto até poderia ser motivo de preocupação para gentios, não para cristãos. Cristão que se preza não deveria andar preocupado! E por quê?
            Porque você não só pode, como deve apresentar tudo a Deus por meio da oração e de ações de graças. Fazendo isso, “a paz de Deus, que excede todo o entendimento”, guardará o seu coração e a sua mente em Cristo Jesus (v. 6, 7).
            O versículo 7, na versão bíblica A Mensagem afirma: “É maravilhoso o que acontece quando Cristo retira a preocupação do centro da vida humana”.

            - Tenha um padrão de pensamento positivo
            Pense a respeito de “tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama”, tudo o que for “excelente ou digno de louvor” (v. 8). Focalizar o lado luminoso da vida deve ser um hábito diário.
            Resumindo, amigos, o melhor que vocês têm a fazer é encher a mente e o pensamento com coisas verdadeiras, nobres, respeitáveis, autênticas, úteis, graciosas — o melhor, não o pior; o belo, não o feio. Coisas para elogiar, não para amaldiçoar. Ponham em prática o que aprenderam de mim, o que ouviram, viram e entenderam. Façam assim, e Deus, que é soberano, irá tornar real em vocês a mais excelente harmonia” (versículos 8 e 9 – versão A Mensagem)..


            - Adapte-se às circunstâncias
            O que o apóstolo nos diz em seguida, num português bem popular, é o seguinte: “Tenha jogo de cintura, seja flexível, se preferir, seja maleável, seja transigente”, contudo, excetue princípios; esses fazem parte do grupo dos intocáveis.
            O mundo vive a beira de um ataque de nervos então, nós que ostentamos o título de cristão desenvolvamos aquilo que os psicólogos, entre outros, chamam de inteligência emocional. Precisamos urgentemente aprender, se é que ainda não aprendemos, a administrar crises, conflitos.
            Há na Palavra de Deus uma bênção para todo aquele que consegue mostrar que cooperar é melhor do que partir para o confronto ou competição. Agindo dessa forma as pessoas irão descobrir quem você é realmente. Um (a) pacificador (a)!
            Paulo disse: “Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade” (v. 12).


            - Tenha a certeza
            De que Deus lhe concederá poder para enfrentar todos os desafios. “Tudo posso naquele que me fortalece”, diz o apóstolo (v. 13).
            O problema acontece porque nós assumimos aquela postura do “eu me garanto”.
Eu confio na minha força”. “Eu confio em minhas competências”. “Eu confio em minha inteligência”. “Eu confio em minha conta bancária”. Eu confio tantas outras coisas que não sobra espaço para Deus operar; muito menos para acreditar que Deus é capaz de resolver todos os desejos mais profundos de meu ser.
            Por isso quando pedir, “peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte” (Tiago 1:6 – ACF).



            - Deus proverá o que você precisa
            Lamentavelmente vivemos num mundo que cria necessidades artificiais, falsas necessidades.
            Somos convencidos de que, além das necessidades humanas básicas de ar, água, alimento e abrigo, todos nós temos uma quinta necessidade humana: a necessidade de novidade, a necessidade ao longo da vida de uma contínua variedade de estímulos externos aos nossos olhos, ouvidos, sentidos ou órgãos, e a toda a nossa rede nervosa. E o resultado? A grande maioria de nós, inclusive os crentes, pessoas de fé, acabamos sucumbindo a esse apetite pela novidade.  
            Como verdadeiros adoradores de Jeová-Jire precisamos também acreditar que:       “O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus” (v. 19).


            Conclusão
            Você não se alegra focalizando os motivos para tristeza, mas conectando-se à fonte da alegria. Então, meu irmão, minha irmã, alegre-se no Senhor!
            Este é o meu desejo e a minha oração. Amém!!!








© Nelson Teixeira Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário