sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

CASA DE MISERICÓRDIA E SUAS LIÇÕES


            Introdução
            Muito embora o termo “parábola” tenha sido empregado pelo evangelista João (ver João 10:6 – versões Almeida), é admirável que ele não tenha usado nenhuma das muitas parábolas que aparecem nos demais Evangelhos. Isso não significa que o discípulo amado desconsiderou o valor das parábolas como metodologia de ensino. É fato que, sob a orientação do Espírito Santo, ele narrou fatos históricos ocorridos durante o ministério de Jesus dando-lhes um significado transcendente, em outras palavras, transformando tais eventos em parábolas vivas.
            Sob a superfície de cada relato histórico, Deus colocou um significado mais profundo que nos ensina algo especial sobre Jesus. Esta é a razão porque os milagres de Jesus, no evangelho de João são identificados como sinais.
            Estes aparecem em número de sete (exceto a pesca maravilhosa relatada no apêndice do livro, o capítulo 21): (1) A água transformada em vinho (2:1-12); (2) A cura do filho do oficial do rei (4:46-54); (3) A cura do paralítico junto ao tanque de Betesda (5:1-18); (4) A multiplicação dos pães (6:1-15); (5) Jesus anda sobre o mar (6:16:21); (6) A cura do cego de nascença (9:1-12) e (7)A ressurreição de Lázaro (11:1-46).

          Mas, afinal de contas, que lições um fato ocorrido há dois mil anos (sinal 3), tem hoje, a nos ensinar? Muitas lições. É praticamente impossível esgotar o tema, assim destacamos algumas:

            1. Lugar certo

             A primeira coisa a ser dita é que temos de ter a consciência de que, para certas coisas acontecerem em nossa vida, precisamos estar no lugar certo. Quantos lugares havia em Jerusalém, naquela época onde ele pudesse ser encontrado? Ao visualizarmos o mapa da cidade podemos constatar que em vários: sua casa, seu quarto, numa rua pedindo esmolas, num hipódromo, num teatro… Mas, ele estava junto aquele tanque.

 

             Qual a razão específica de ser aquele tanque? É sabido que existiam outras fontes. “Acreditava-se que as suas águas possuíam virtudes terapêuticas. A leitura contida no vers. 4, dizendo que um anjo do Senhor descia em certo tempo ao tanque e movia-se a água, foi omitida pelos revisores da Bíblia inglesa, por não encontrar apoio em textos antigos”.

            “[Esperavam o movimento da água, porque de vez em quando um anjo do Senhor descia e agitava a água. O primeiro doente que entrava no tanque depois disso sarava de qualquer doença.] A última parte do vers. 3 e o vers. 4 não fazem parte do texto original grego”. 2

            O Comentário Bíblico Adventista também sustenta esta ideia: “A explicação parece não ser parte do texto original, mas teria sido acrescentada para explicar o v.7. A tradição era antiga, como indica Tertuliano, que a conhecia no princípio do 3° século. Não há evidências dessa inserção antes de seu tempo. A agitação da água era real (DTN, 202) e pode ser explicada por fenômenos naturais. Várias fontes de Jerusalém são intermitentes, ou seja, a água jorra forte por um tempo e, depois, diminui. Se o tanque de Betesda era alimentado por uma dessas fontes, a pressão da água podia alterar a calma da água do tanque alternadamente”. 3

            Quanto à cura o mesmo comentário afirma: “Cria-se que seria curado o primeiro a chegar ao tanque quando a água se movia, sendo que os dons de Deus são para todos igualmente que se qualificam para recebê-los. Além disso, a cura ocorreria apenas periodicamente. Os princípios implícitos neste relato a respeito dos que eram “curados” no tanque são bem diferentes dos princípios pelos quais Jesus realizava milagres (ver p. 204-206)”. 4

 

              Controvérsias a parte, ele estava à beira daquele tanque, à espera de um milagre.

            E você, quantas vezes quer receber uma bênção, quantas vezes quer ver o milagre acontecer em sua vida, mas fica acomodado, e não vai aonde você sabe que já aconteceram milagres? É momento de sair do comodismo, de sua zona de conforto, mesmo diante das dificuldades, e ir ao encontro de seu milagre, pelo menos ir para onde você sabe que tem milagre acontecendo.

       2. Tempo Certo

            A segunda coisa que precisamos entender é que não basta estar no lugar certo, mas esperar pelo tempo certo. Há quanto tempo aquele homem esperava pelo seu milagre? Há exatos 38 anos! Na casa de misericórdia (em hebraico Betesda), onde as coisas aconteciam. Haja fé, paciência, persistência, perseverança!
            Hoje, se você ainda não completou 38 anos de idade é quase que impossível ter a ideia exata do que significa todo este tempo de vida! Quantas vezes eu e você ficamos atribulados, ansiosos porque algo demorou a acontecer apenas alguns dias ou semanas?
            Talvez, para desencargo de consciência você já tenha ido ao lugar certo em busca de seu milagre, uma vez, duas vezes, algumas vezes e desistiu. Está na hora de voltar, de acreditar de novo e esperar pelo tempo de Deus agir em sua vida. Não se esqueça de que a Palavra de Deus afirma que há tempo para tudo aqui nesta Terra, inclusive para sua bênção, para seu milagre!

           3. Pessoa Certa
            A terceira lição que, às vezes, deixamos passar despercebida nesse relato é que, embora estando no lugar certo, e esperando o momento certo, não é qualquer pessoa que vai nos ajudar. Nosso mundo esta cada vez mais individualista e a maioria das pessoas não querem nem tomar conhecimento de nossa existência, muito menos de nossos problemas. Nós temos que entender que temos que falar com a pessoa certa para as coisas acontecerem. Certamente você já vivenciou a experiência de estar no lugar certo, na fila de espera, e passar alguém conhecido e você pensar: “agora meu problema vai ser resolvido”, mas foi só mais uma decepção… Após mais de meio século de existência, aprendi, a duras penas, que às vezes, é dos desconhecidos, de quem nada esperamos que vêm as mais gratas surpresas (irmã Letícia), enquanto dos conhecidos as maiores decepções.
            Você já sabe disso, mas vou relembrar-lhe: não conte seu problema para qualquer um. Ainda que alguém tenha interesse em ajudar-lhe, poucos podem, de fato, dar-lhe a ajuda de que você necessita; especialmente em se tratando de uma bênção ou de um milagre. Evite decepções comentando seus problemas e dificuldades com todos, como se qualquer um pudesse resolver sua situação. Se seu problema pudesse ser resolvido por qualquer um, você mesmo já o teria feito, não é mesmo?
            Então, concluímos que para que bênçãos sejam derramadas e milagres aconteçam em nossas vidas, ainda assim depende, em parte, de nós: precisamos estar no lugar certo, esperar pelo momento certo e encontrar a Pessoa certa, capaz de resolver nosso problema. Mas, ainda há outras coisas a serem aprendidas.

            A visão de Deus
            Deus vê de forma diferente dos homens. A forma como as pessoas nos veem é uma e a forma como Deus nos vê é diferente.
            O texto bíblico clássico para embasar esta afirmação encontra-se em 1 Samuel 16:7 : “Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração”.  
            O que as pessoas viam naquele paralítico velho e cansado? Uma fonte de problemas, e problemas sem solução. Alguém sem futuro, sem esperança e sem capacidade de produzir algo relevante para a sociedade. Um fardo, não só para ele mesmo como para os demais a sua volta. Para muitos, sua ausência nem seria sentida, apesar das várias vezes que o viram ser colocado junto ao tanque, à espera do milagre. Era isso que as pessoas viam.
            Mas, o que Deus via naquele homem, cujo nome sequer foi mencionado, sem história, sem currículo e sem futuro era diferente.
            Deus via nele alguém capaz de carregar seus fardos do passado, e viver um futuro diferente, promissor. Uma vida transformada pelo poder de Deus. Uma vida produtiva para si próprio, para sua família, para a igreja, para a sociedade e acima de tudo, para a honra e glória de Deus.

           Conclusão
            As pessoas que hoje não lhe dão o devido valor, que antes lhe viam com desprezo, vão ser obrigadas a reconhecer que Deus mudou sua história, fez um verdadeiro milagre, e eles passarão de zombadores a admiradores e pedintes de conselhos seus. Você um (a) prestador (a) de consultoria espiritual!
            Sim, tenha paciência, seja perseverante, exercite a sua fé. Sua bênção irá chegar, seu milagre vai acontecer.  Acredite, não sei seu nome, não conheço sua história, mas conheço o meu Deus, e creio firmemente que Ele é especialista em transformar situações e vidas, restaurando lares, famílias inteiras.
            Essa promessa é sua, acredite e fique no lugar, espere o tempo certo, e Alguém vai procurá-lo com a ordem: “levanta-te e anda“!.
            Este é o meu desejo e a minha oração. Amém!!!

 Referências:
1. John Davis, Dicionário da Bíblia, 15ª Edição/1989, página 85 
2. Bíblia de Estudo NTLH, página 1063 (nota de rodapé), Edição 2005
3. Comentário Bíblico Adventista (Série Logos), página 1049
4. Idem, página 1050


© Nelson Teixeira Santos