quarta-feira, 25 de julho de 2012

DEUS PRECISA DE COISAS QUEBRADAS


             “Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? Diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel”.            Jr 18:6.



           Introdução.

           O que Deus mais usa para a Sua glória são as pessoas e coisas bem quebradas.                     Embora a Palavra de Deus afirme que Deus deseja misericórdia e não sacrifício (Mat. 9:13), há um tipo de sacrifício que Ele aceita: “O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus”. Salmos 51:17



           Deus precisa de coisas quebradas.

           A lógica divina às vezes parece não fazer muito sentido na Terra.

          Coisas quebradas. Para que servem coisas quebradas?

          Por que as coisas (vasos) se quebram?

          É possível se autoconsertarem?

          Agora, partindo do âmbito material (coisas/vasos) para o espiritual. Voltemos ao Éden.

           Adão e Eva desobedecem a Deus afastando-se um do outro; e, como conseqüência: a queda. E em razão da queda: a quebra da relação ente Deus e os homens.

          Podemos nós seres humanos, por si mesmos resolver o problema?

          Quem então pode reparar o estrago causado pelo pecado?

          Mas o homem natural quer ser restaurado? 

           É nesse ponto que a lógica divina começa fazer sentido. Enquanto teimarmos em proceder segundo o fariseu da parábola proposta por Jesus em Lucas 18:10-14, Deus não poderá usar-nos para sua glória.

           Para o povo judeu havia nas coisas quebradas um simbolismo muito forte de perda, de algo que não poderia mais ser usado. Quando tudo falha, quando tudo se quebra, quando a impossibilidade humana torna-se patente, só então Deus passa operar. Fica evidente Seu poder transformador de pessoas e coisas quebradas em honra e glória a Seu santo nome.



           Com a palavra as Santas Escrituras. 

           ● Foi o quebrantamento da força natural de Jacó em Peniel (Gên. 32:24-32) que o colocou no lugar onde Deus pôde revesti-lo de poder espiritual.

           ● Foi o quebrar da rocha em Horebe, pela vara de Moisés (Êx. 17:6), que permitiu a saída das águas frescas para que o povo sedento pudesse beber.

           ● Foi quando os trezentos eleitos sob a liderança de Gideão quebraram os jarros (Juízes 7:19-20), tipo de quebrantamento de seus próprios corações, que a luz escondida resplandeceu, para confusão dos 135.000 adversários (Juízes 8:10).

           ● Foi quando a viúva pobre partiu o selo do pequeno pote de óleo e o derramou (II Reis 4:1 -7), que Deus o multiplicou para pagar suas dívidas e suprir-lhe o sustento.

           ● Foi quando Ester arriscou a vida e rompeu com a etiqueta da corte pagã (Ester 5:1-2), que obteve favor do rei Assuero para livrar da morte o seu povo.

           ● Foi quando Jesus tomou os cinco pães e os partiu (Mat. 14:20), que o pão se multiplicou, no próprio ato do partir, e foi suficiente para alimentar cinco mil pessoas.

           ● Foi quando Maria quebrou o belo vaso de alabastro (Marcos 14:3), tornando-o daí por diante inútil, que o perfume encheu a casa.

           ● Foi quando Jesus deixou que Seu corpo fosse partido e rasgado pelos espinhos, pregos e lança, que Sua vida interior foi derramada como um rio cristalino, do qual os pecadores sedentos podem beber e viver.

           ● É quando o lindo grão de trigo se rompe na terra, pela morte, que sua vida interior brota e produz centenas de outros grãos. Para a semente, morrer significa decompor-se, sem desaparecer. Mudar de forma, transformar-se, sem deixar de ser.          

           E assim por diante – através de toda a história, e toda biografia, e toda vegetação, e toda a vida espiritual, inclusive a sua – Deus precisa de coisas quebradas.

           Talvez, neste momento, em algum aspecto de sua vida você se encontre quebrado, talvez você esteja entre os que estão:

·        Quebrados na riqueza.

·        Quebrados na vontade.

·        Quebrados nas ambições e em seus belos ideais.

·        Quebrados na reputação perante o mundo.

·        Quebrados nas afeições.

·        Quebrados na saúde.

·        Desprezados parecendo muitas vezes esquecidos e abandonados.



 Você não é o único. Muitos já o precederam.

           Elias. Achava que tinha ficado só, e para piorar as coisas, ainda procuravam tirar-lhe a vida (I Reis 19:14). A resposta foi surpreendente, magnífica (I Reis 19:18).

           Davi. Também passou por essa experiência e por confiar em Deus de todo o coração, deixou não apenas um, mas, dois recados inspirados:

           1º - “Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito" (Salmo 34:18).

           2º -“O Senhor sara os quebrantados de coração, e cura-lhes as feridas”; Salmo 147:3.

           Jesus.Veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (João 1:11).   

           É para você também que o próprio Jesus deixou uma promessa muito especial, acredite: “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” (João 6:37).

 “O caminho para o Céu é áspero. Existem cardos e espinhos no caminho; mas podemos seguir com alegria o áspero caminho, sabendo que Jesus, o Rei da glória, já passou por isto antes de nós”. Ellen G. White, Review and Herald, 10 de junho de 1852.



           A você o Espírito Santo tomará e usará para a glória de Deus, porém:

·        Você precisa sentir a necessidade do Espírito Santo e orar por Ele.

·        Precisa desejar a presença do Espírito Santo.

·        Você precisa consentir que Ele trabalhe em seu coração.

·        Precisa estar disposto a ser usado e guiado pelo Espírito.

 Para a semente é morrendo que produz muito fruto, é deixando-se assumir pela terra que libertará todo potencial de vida nela implantado por Deus.

 Está você disposto a despojar-se, a morrer para o eu?

 Como é que se despoja, como é que se morre para o eu?

O apóstolo Paulo chama isso em Efésios 4:22 de “despir-se do velho homem” e Jesus, em Mat. 16:24 e Marcos 8:34 de “negar-se a si mesmo, tomar a sua cruz, e seguir-Lhe”.

 “Ele anseia derramar sobre nós Seu Santo Espírito em fartas medidas, e que aplainemos o caminho mediante a renúncia. Quando o próprio eu for entregue a Deus, nossos olhos serão abertos para ver as pedras de tropeço que nossa dessemelhança com Cristo tem posto no caminho dos outros. Tudo isso Deus nos manda remover. Diz Ele: ‘Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis.Tiago 5:16”. – 2TS, pág. 382



Como seguir verdadeiramente a Cristo?

           A única forma de seguir verdadeiramente a Cristo é entregando tudo a Ele; esta precisa ser uma morte total e completa para o eu.

           Naturalmente, só o Senhor pode fazer isso por nós, se o permitirmos, se tomarmos a decisão de segui-Lo e fazer o que devemos fazer.                 

           Como o grão de trigo, primeiro morre. Não existe outra maneira.

           A isso que o apóstolo Paulo chama de sacrifício vivo em Romanos 12:1: Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional”.

 A Srª White chama de esvaziar-se a si mesmo: “Todavia ninguém se pode esvaziar a si mesmo do eu. Somente podemos consentir em que Cristo execute a obra. Então a linguagem da alma será: Senhor, toma meu coração; pois não o posso dar. É tua propriedade. Conserva-o puro; pois não posso conservá-lo para Ti. Salva-me a despeito de mim mesmo, tão fraco e tão dessemelhante de Cristo. Molda-me, forma-me e eleva-me a uma atmosfera pura e santa, onde a rica corrente de Teu amor possa fluir por minha alma”.  PJ.  pág. 159.



Quando deve ocorrer a entrega do próprio eu à Deus?                             

 “Não é só no princípio da vida cristã que esta entrega do próprio eu deve ser feita. Deve ser renovada a cada passo dado em direção do Céu”. PJ, pág. 160.



Qual a conseqüência dessa entrega?

Certamente você irá se surpreender. “Não há limites à utilidade daquele que, pondo de parte o próprio eu, abre margem para a operação do Espírito Santo em seu coração, e vive uma vida inteiramente consagrada a Deus”. SC, pág. 254. 



Temos escolha?

Não se trata apenas de um conselho que podemos ou não seguir, mas trata-se de uma condição, de algo indispensável, um sine qua non, uma exigência insubstituível.



“Quebra minha vida e faze-a de novo; eu quero ser, eu quero ser um vaso novo”.

Neste momento solene, em nome de Jesus permita-me desafiá-lo:

·        Já que o que Deus mais usa para a Sua glória são pessoas quebradas,

·        Porque não firmar agora uma aliança, um compromisso, um testamento, um pacto, um acordo, chame da forma que você quiser, mas faça,

·        Faça com que o coro do hino nº 502 do HA seja uma experiência viva, real em sua vida. 

É o meu desejo e a minha oração. Amém!!!   



           

sábado, 21 de julho de 2012

A ESSENCIALIDADE DA MATURIDADE


“Tudo o que eu quero é conhecer a Cristo e sentir em mim o poder da sua ressurreição. Quero também tomar parte nos seus sofrimentos e me tornar como ele na sua morte, com a esperança de que eu mesmo seja ressuscitado da morte para a vida. Não estou querendo dizer que já consegui tudo o que quero ou que já fiquei perfeito, mas continuo a correr para conquistar o prêmio, pois para isso já fui conquistado por Cristo Jesus. É claro, irmãos, que eu não penso que já consegui isso. Porém uma coisa eu faço: esqueço aquilo que fica para trás e avanço para o que está na minha frente.  Corro direto para a linha de chegada a fim de conseguir o prêmio da vitória. Esse prêmio é a nova vida para a qual Deus me chamou por meio de Cristo Jesus. Todos nós que somos espiritualmente maduros devemos ter essa maneira de pensar. Porém, se alguns de vocês pensam de maneira diferente, Deus vai tornar as coisas claras para vocês. (Filipenses 3:10-15 NTLH).




Um clássico parágrafo a respeito de maturidade é Filipenses 3:10-15. Desta passagem aprendemos que a maturidade tem cinco elementos:

   1°) - Confiança completa, irrevogável, em Cristo somente
           Como adquirir esta confiança completa?
            O Salmo 37:5 tem a resposta: Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará” (Salmos 37:5). Mas, se sabemos a resposta onde está o problema? O problema é que ficamos sempre postergando, protelando, procrastinando. Sempre deixando para amanhã. Em termos de salvação a palavra amanhã é muito perigosa. O amanhã pode simplesmente não acontecer.

            A Palavra de Deus aconselha: Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, (Hebreus 3:7); Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações, como na provocação (Hebreus 3:15); Porque ele é o nosso Deus, e nós povo do seu pasto e ovelhas da sua mão. Se hoje ouvirdes a sua voz (Salmos 95:7); Determina outra vez um certo dia, Hoje, dizendo por Davi, muito tempo depois, como está dito: Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações (Hebreus 4:7). Quantas vezes a palavra hoje é repetida? Por que?
            E porque em Cristo somente?
            Deixemos que a Palavra de Deus nos responda: E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos (Atos 4:12 ).

            O livro do profeta Jeremias encerra uma das passagens mais dramática das Santas Escrituras: “Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos” (Jeremias 8:20).
            2°) - Reconhecimento de minhas imperfeições humanas

                    Qual a importância de reconhecermos as nossas imperfeições?
            Deus não pode agir num coração arrogante, presunçoso, egoísta. Em um coração que se acha – sábio, forte ou rico aos seus próprios olhos. “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mateus 5:3).
            A humildade leva a uma oração diferente, uma oração que funciona, uma oração que Deus responde. Quando nos damos conta de nossa grande necessidade, Deus pode nos ouvir” (William G. Johnsson - MD - Jesus a preciosa graça – 26.06.2012).  

            Também está escrito: Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte na sua força, nem o rico nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR”. (Jeremias 9:23-24)
            3°) - Dedicação a aprendizado e crescimento vitalícios

                    Tomemos como exemplo a vida de um atleta de ponta – de alto nível.
            Sempre muito dedicado aos treinamentos. Sempre muito atento às orientações de seu treinador e equipe. Sempre buscando o aprimoramento de suas técnicas.  Sempre buscando melhorar seu desempenho. Sempre muito disciplinado. Sempre tomando muito cuidado em manter sua saúde.
            O que acontecerá se ele parar, ainda que seja por um curto espaço de tempo?
            Pois o mesmo acontecerá com nosso crescimento espiritual.
            Um dia certamente você irá se aposentar de seu trabalho secular, mas deixar de ser cristão – jamais. Moral da história: Nunca deixe de se exercitar espiritualmente. Tudo nesta vida que não cresce ou deixa de crescer está fadado à morte. Nunca deixe de crescer.



            Precisamos deixar a mornidão laodiceana de lado e isto implica em mudar.

            Precisamos mudar para crescer. Crescer “até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” (Efésios 4:13).
            Para você herdar a coroa da vida, você precisará ser fiel até quando?  Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10 u.p.).
            4°) - Conservação de meu futuro diante de mim, esquecendo o passado

                    Em outras palavras: focar através dos olhos fé o futuro e não o passado. Segundo a Palavra de Deus o inimigo é mentiroso, enganador, astuto, covarde e tem um jeito muito peculiar de lidar conosco: desviando-nos do foco e tirando-nos do equilíbrio. Daí a importância que a igreja dá a temperança.
            Porque será que é tão difícil esquecer o passado?
            Reza um velho adágio popular que quem vive de passado é museu. Então, isto significa dizer que o passado não serve para nada? De modo algum. O passado serve sim, para adquirimos experiência de vida através dos erros e acertos.
             Onde está o problema então?
             O problema está em ficarmos presos ao passado. Presos ao passado não vivemos o presente. Sem o presente não há futuro. É preciso avançar, crescer. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14).
            5°) - Previsão, busca, persistência para com tudo de bom que Deus quer de mim

                   Gosto de pensar que nosso Deus é um Deus que planeja. Um Deus que nunca é apanhado de surpresa. Assim devemos ser também. A palavra do momento é: proativos. Ser cristão é ser proativo.
           Buscar a face de Deus é buscar o Seu favor, o que significa estar em paz com Ele. No momento em que Deus for mais importante para nós do que tudo o mais, quando estivermos preparados para abandonar o pecado acariciado ao sermos convencidos pelo Espírito, Deus poderá operar grandes coisas em nossa vida (William G. Johnsson - MD - Jesus a preciosa graça – 26.06.2012).  
            A busca deve ser incessante. “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto” (Isaías 55:6). Amanhã pode ser muito tarde!

           Conclusão
            Em que deve o cristão persistir? Com esta resposta concluiremos esta mensagem: Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” (Filipenses 4:8 ).
            Este é o meu desejo e a minha oração. Amém!!!

quarta-feira, 11 de julho de 2012

EVENTOS FINAIS - ENFRENTANDO DIFICULDADES NOS


           “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em Mim. No mundo tereis tribulações [aflições]; mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo”. João 16:33.

           “Irou-se o dragão contra a mulher, e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus”. Apoc. 12:17.

          

         Antes de tudo necessitamos ter ânimo, porque quando estamos do lado de Deus, estamos, inevitavelmente, do lado vencedor (Salmo 91:7; João 16:33; Atos 27:25).

      
           A verdade é que as dificuldades e perseguições ocorrem em qualquer momento, em qualquer lugar (João 15:20-21). Missão A Voz dos mártires; Missão Portas Abertas, são, entre outras, entidades que divulgam as atrocidades cometidas contra cristãos. 


           Rumores a respeito de minorias religiosas podem se propagar rápida e inesperadamente, e podem ser objetos da mídia, de políticos, de oposições religiosas e da polícia como inimigos públicos. Somos alvos fáceis, portanto, muito cuidado com os escândalos (Lucas 17:1).


           A história de Ester nos ensina que Deus protege Seu povo minoritário. Ele, (não nós) possui indivíduos em postos elevados com vistas a ajudar Sua igreja. Portanto, não se envolva em nenhum tipo de manobra política conflitante. “Testifico a meus irmãos e irmãs que a Igreja de Cristo, débil e defeituosa como possa ser, é o único objeto na Terra ao qual Ele dispensa Seu supremo cuidado”. – Testemunhos p/ Ministros, pág. 15. Ver Rm 8:31-39.



           Necessitamos lembrar que o povo de Deus não se limita aos nomes constantes nos livros de membros da igreja (João 10:16 ; ME, vol. 3, pág. 386).

           O que podemos e o que não devemos fazer?


           Necessitamos aprender a confiar em Deus.

           Ele é o Senhor da História. É o Salvador vitorioso que nos protegerá.

           Em que, ou em quem você tem depositado a sua confiança?

           Em ídolos? “O vento a todos levará, e um assopro os arrebatará”. Isaias 57:13.

           No homem? “Maldito o homem que confia no homem”. Jer. 17:5.

           Em seu próprio coração?O que confia no seu próprio coração é insensato”. Provérbios 28:26. Ver também Jeremias 17:9.

           Nas riquezas? “Aquele que confia nas suas riquezas, cairá”. Prov. 11:28.      

           O ímpio tem muitas dores, mas aquele que confia no Senhor, a misericórdia o cerca”. Salmo 32:10.

           Quer ser feliz? “Confia no Senhor”. Prov. 16:20.

           Quer prosperar? “Confia no Senhor”. Prov. 28:25.

           Quer sentir-se seguro? “Confia no Senhor”. Prov. 29:25.

           Quer ter paz? “Confia no Senhor”. Isaías 26:3.

           Quer ser abençoado? “Confia no Senhor”. Jer. 17:7.

           Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nELE, e ele tudo fará”. Salmo 37:5

            Que dia memorável será este; o dia que nos apropriarmos destas promessas e as aplicarmos a nossa vida!


           Cuidar para não provocar perseguição.

           “Prega a Palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige e repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina”. II Tim. 4:2.

           Não devemos, em hipótese alguma, apoiar aqueles que deliberadamente atacam outras denominações religiosas em reuniões públicas. Essa é uma estratégia medíocre, que nos dá má publicidade e acarreta muitos problemas a nossos membros; ela produz inimigos.   “Deve-se proclamar decididamente a verdade. Mas com respeito a essa linha de trabalho, fui instruída a dizer ao nosso povo: Tenham cuidado. Ao transmitir a mensagem, não façam pressões pessoais sobre outras igrejas... Sejamos cuidadosos com nossas palavras”. Ellen G. White, Refletindo a Cristo [Meditações Matinais, 1986], pág. 232. 

           Prudência é a palavra. O que faz da prudência uma virtude tão desejável?

Segundo a Palavra de Deus: a)- leva os cristãos a moderar seus lábios (Prov. 10:19); b)- a saber quando ficar calado (Prov 11:12) e c)- a saber controlar a afronta (Prov. 12:16). 

           O conselho de Jesus: “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas”. Mateus 10:16.


          Não empregar rumores ou sensacionalismo.

           Não se utilizar desses artifícios para alimentar a fé cega ou a ansiedade em nossos irmãos e irmãs. O temor não é a melhor forma de nutrir a espiritualidade. Muito cuidado com as ditas “mensagens impactantes”!

           Foi por esta razão, entre outras obviamente, que no século XIX, Deus escolheu Ellen G. White para ser a sua profetiza. No decorrer de sua vida (1827-1915), ela escreveu cerca de vinte e cinco milhões de palavras, umas cem mil páginas, de conselhos, advertências e mensagens para o povo de Deus que estaria vivendo a fase final da história deste planeta.

           Ellen White deveria deixar isso bem claro, porque no fim dos tempos muita gente, inclusive entre o professo povo de Deus, faria mau uso das verdades bíblicas, distorceria, questionaria a sabedoria e a validade das ordens divinas  que aparecem no decálogo e em outras partes das Escrituras.

       

           Ser honesto e cuidadoso.

           Principalmente quando mencionar ou partilhar informação que pode ser erroneamente interpretada. Analisar toda a informação, procurar mensurar todos os prós e contras antes de divulgá-la.

           Existem coisas (informações inclusive), que até podem ser inocentes, mas que devemos evitar porque podem trazer dano a nós mesmos ou dar impressão errada (podem causar mal entendidos) a outras pessoas (I Cor. 6:12; I Cor. 10:23).

           É necessária sua divulgação? Que benefício trará? (As três peneiras).

           Reza um ditado popular: “quem tem a informação tem poder”.

           Que jamais sejamos, sequer, tentados a manipulá-la. Ser honesto e cuidadoso também significa ser imparcial.

           Prudência continua sendo a palavra de ordem!


           Haja com antecipação.

           Não espere que ocorra a perseguição para então organizar o Departamento de Relações Públicas e Liberdade Religiosa e reunir-se com as autoridades e líderes religiosos (Romanos 12:18 – Mateus 5:9).

           É necessário se antecipar aos problemas, no caso, as perseguições, apresentando sempre uma solução eficaz. Hoje, mais do que nunca Deus necessita de homens e mulheres proativos.

           Nosso Deus é um Deus que planeja. O plano da criação, incluindo a etapa redentiva confirma essa verdade. Deus nunca age de improviso, Deus nunca é apanhado de surpresa e Ele espera que Seus filhos façam o mesmo. Sejamos prevenidos!


           Converse com seu pastor.

           Manter sempre aberto o canal de comunicação com seu líder, aliado a leitura da literatura denominacional, com vistas a obter conselho e informação. “Aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas”. Apoc. 3:18. Não há discernimento sem o conhecimento!

           “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.” Oséias 4:6.

           Pois misericórdia quero, e não sacrifícios; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos”. Oséias 6:6.

            “Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em entender, e em me conhecer, que eu sou o Senhor, que faço benevolência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor”. Jer. 9:23-24.

           Converse, coopere com seu pastor sem tornar-se um seguidor cego ou um escravo mudo. A unanimidade é burra, reza um dito popular. Adquira o salutar hábito de ponderar sobre as coisas. Está escrito: "Examinai tudo. Retende o bem" (I Tessalonicenses 5:21).

           Você sabe dizer o porquê da Bíblia ser o livro mais vendido no mundo?

        

           Seja fiel.

           Seja fiel e peça a Deus para ajudá-lo e a Seu povo a tornarem-se bons discípulos, quer em situações de paz ou sob perseguição.

           Em nossa jornada, ao longo da vida, a perseguição não é o fim nem o alvo, mas o desafio que poderemos ter de enfrentar.

           Temos a esperança, e sabemos que Jesus voltará, e pela fé podemos saber que temos um futuro brilhante. Jesus disse a Seus discípulos: “... aquele, porém, que perseverar até ao fim, esse será salvo” (Mat 10:22) e entrará no gozo do Senhor (Mt 25:21).


           Conclusão.

           Como adventistas do sétimo dia, sabemos por que estamos na Terra. Estamos aqui porque temos uma missão a cumprir, nos tempos fáceis e de dificuldades, até que o Senhor venha.           

           Em suas pregações sobre a volta de Jesus, o Pr. Alejandro Bullón costuma ser  enfático em seus apelos finais: “aceite ou não, acredite ou não, queira ou não, esteja você preparado ou não, Jesus irá voltar.

           Porém, antes de sua volta, as dificuldades, as perseguições e ou tribulações irão ocorrer e de igual modo aceitando ou não, acreditando ou não, querendo ou não, estando você preparado ou não, elas virão. 

           Cristo vem prepara-te. É o meu desejo e a minha oração. Amém!!!